October 15, 2015

Please reload

Recent Posts

NOTA DE CAUTELA NO RASTREAMENTO DO CÂNCER DE MAMA

October 8, 2018

1/2
Please reload

Featured Posts

Pesquisa Longitudinal do Desenvolvimento de Famílias do Bairro Vila Jardim

Este é um estudo feito em colaboração pelo Departamento de Psiquiatria da Faculdade de Medicina da UFRGS, o Serviço de Saúde Geral e Comunitária do Grupo Hospitalar Conceição e o Instituto da Família. Foi idealizado por solicitação de colegas do Grupo Hospitalar Conceição de colaborarmos no planejamento de ações de saúde do Programa da Criança. Os objetivos e a metodologia da pesquisa foram construídos em conjunto, com o objetivo de utilizar uma linguagem adequada à população em estudo e de criar conhecimentos que possam ser facilmente repassados à linha de frente do atendimento.

 

Foi iniciado em 1998, na época já coordenado pela Profa. Olga mas com a orientação da  Profa. Dra. Elsa Giugliani, como um estudo de casos e controles para estudar os fatores psicossociais associados com o desmame precoce, que é grande fator de risco para morbimortalidade infantil. Ao terminar esse estudo verificou-se que, para realizá-lo, haviam sido visitadas todas as famílias do Bairro Vila Jardim de Porto Alegre que tiveram filhos em hospital público no período de Dezembro de 1998 a Março de 2000.

 

A partir daí decidiu-se continuar a estudar as famílias longitudinalmente, já que constituíam uma coorte populacional de famílias talvez sem similar na literatura. As 148 famílias dessa coorte foram estudadas em quatro ocasiões: quando seu filho tinha 4 meses, quando tinha 2 anos, com 4 anos e com 9 anos de idade.

Na terceira etapa juntaram-se ao grupo colegas da Brigham Young University e da University of Nebraska-Lincoln dos Estados Unidos, que continuam a colaborar com o grupo. Na quarta etapa, que incluiu um estudo biológico, associaram-se colegas da Psicologia da UFRGS e da PUC-RS.

Atualmente está novamente sendo estudada a amostra, agora com o filho adolescente.

Nesta etapa do estudo juntaram-se ao grupo colegas do CEP-RUA da Psicologia da UFRGS.

 

Objetivos do estudo:

1. Estudar os fatores psicossociais associados com morbimortalidade na população

Infanto-juvenil.

2. Estudar os fatores associados com problemas no relacionamento familiar.

3. Estudar os fatores associados com a presença e/ou desenvolvimento de transtornos

mentais.

4. Testar a hipótese de que fatores relacionais adversos, como relação conjugal problemática e rede social pobre, estão associadas com maior morbimortalidade e, portanto, maiores gastos do Sistema de Saúde.

5. Verificar se fatores de proteção genética e amamentação prolongada se associam com melhor desenvolvimento cognitivo na criança.

6. Verificar os fatores associados com maior resiliência familiar.

 

Método:

A pesquisa longitudinal do desenvolvimento de famílias do Bairro Vila Jardim é um estudo observacional de base populacional. Entretanto, por razões éticas, ainda que isso possa modificar os dados, o grupo de pesquisa decidiu ativamente sugerir avaliação do indivíduo ou da família, com o conhecimento destes, quando indicado. Desta forma, o grupo mantém diálogo constante com o serviço de saúde, em especial a Medicina de Família e Comunidade do GHC.

A pesquisa está acompanhando 148 famílias, originalmente residentes no Bairro Vila Jardim, Porto Alegre, em área servida por três Unidades de Saúde do Grupo Conceição e que, quando o estudo iniciou, tinham bebês com quatro meses de idade. A população do estudo é economicamente heterogênea, sendo a maioria de classe média baixa, com 10% que no início da pesquisa eram extremamente pobres. Todas as casas tinham água encanada e eletricidade, em torno de 10% não tinham esgoto nem coleta de lixo. Parte das famílias mudaram-se, porém aquelas que ainda moram na região da Grande Porto Alegre continuaram no estudo.

Na primeira etapa foram entrevistadas por estudantes de Medicina todas as famílias residentes no bairro que tinham bebês de quatro meses de idade nascidos em hospitais públicos. Eram identificadas mensalmente através do registro dos nascimentos que é feito rotineiramente nos hospitais de Porto Alegre. O estudante anotava dados de identificação e solicitava a participação na pesquisa. Das 230 famílias identificadas apenas 7 recusaram-se a fornecer seus dados. Destas 153 completaram a primeira etapa do estudo, sendo que 148 passaram a constituir a população do estudo longitudinal, entre as quais 119 foram entrevistadas em 2002, 121 em 2004 e 114 em 2009.

 

Entrevistas:

O método de pesquisa é planejado da mesma forma em todas as etapas: após a visita (ou telefonema) para o convite a entrar na pesquisa e tomar dados de identificação uma  entrevista é realizada por dois entrevistadores (terapeutas de família) auxiliados por um estudante. Fazem avaliações independentes e depois dão notas consensuais para as diversas variáveis em estudo. Este método visa diminuir os vícios de aferição, já que os fenômenos estudados são altamente subjetivos. As respostas dos sujeitos dependem de sua subjetividade e da relação com os entrevistadores, sendo que estes sempre responderão influenciados por seus conhecimentos, suas experiências pessoais e visão de mundo. Toda essa complexidade poderá ser melhor aferida na discussão com o colega buscando uma avaliação consensual. Quando o consenso se mostra difícil o caso é discutido com a pesquisadora principal e/ ou o grupo de pesquisa, até chegar a um consenso. Na primeira etapa toda a entrevista foi gravada em vídeo. Na segunda não foi possível fazer gravação. Nas outras etapas da pesquisa parte da entrevista é gravada em vídeo. Dois consentimentos informados são assinados pelos adultos em cada etapa, um para a entrevista e outro para o uso do vídeo para a realização de material educativo. Na presente coleta, em que o jovem já tem em torno de 15 anos, também se solicita sua assinatura.

A entrevista é semi-estruturada e dura cerca de duas horas, consistindo de uma conversa inicial com toda a família, muitas vezes incluindo membros das famílias de origem. Uma segunda parte é feita só com o casal e o filho, seguida da entrevista individual de cada um dos pais e a partir da quarta etapa também com a criança/adolescente. Além de coletar informações, são observados os comportamentos e as interações dos entrevistados. Na primeira coleta pesquisaram-se profundamente a história pessoal e do cônjuge, incluindo aspectos médicos, psiquiátricos, da relação do casal, do nascimento, desenvolvimento do bebê e da relação pais-bebê. Desenhou-se também, em conjunto com o casal, um genograma e um mapa de sua rede social. As informações colhidas em cada etapa buscam verificar as mesmas variáveis, ao mesmo tempo que parte dos dados  são adequados para cada etapa do desenvolvimento.

 

Escalas:

Várias escalas vêm sendo aplicadas: Self Report Questionnaire (SRQ-20), Escala de Avaliação Global de Funcionamento (AGF), Avaliação Global do Funcionamento Interacional (GARF), Avaliação da relação pais-bebe (PIR-GAS), Inventário sobre Depressão de Beck para Cuidados Primários (BECK-PC), Escala Revisada de Ajustamento Conjugal (RDAS-R), esta última validada pelo grupo para uso no Brasil. Também foram montadas escalas de avaliação do funcionamento da relação familiar (auto-respondida) e da rede social.

Na etapa V, que está atualmente em período de coleta de dados, com os adolescentes em torno de 15 anos, incluímos para sua avaliação o Questionário de Capacidades e Dificuldades (SDQ-Por), Escala de Avaliação Global de Crianças (CGAS) e o Parental Bonding Instrument (BDI).

Na primeira etapa do estudo, depois do treinamento intensivo do grupo, foi realizado um estudo piloto com duas famílias. Toda a equipe participou da formulação da versão final do questionário. Esse procedimento é repetido em cada etapa.

 

ESTUDOS PUBLICADOS:

MILLER, R. B. ;  NUNES, N. A. ; BEAN, R. A. ; DAY, R. D. ; FALCETO, O. G. ; HOLLIST, C. S. ; FERNANDES, C. L.. Marital Problems and Marital Satisfaction Among Brazilian Couples. The American Journal of Family Therapy, v. 42, p. 153-166, 2014.

 

HOLLIST, C. S. ; FALCETO, O. G. ; FERREIRA, L. M. ; MILLER, R. B. ; SPRINGER, P. R. ; FERNANDES, C. L. C. ; NUNES, N. A. ; FALCETO, O. G. . Portuguese Translation and Validation of the Revised Dyadic Adjustment Scale. Journal of Marital and Family Therapy, v. no, p. no-no, 2012.

 

FALCETO, O. G. ; MARIN, A. ; DIEHL, A. ; FERNANDES, C. ; LORENZZONI, P. L. ; COLLARES, M. ; FERRARO, J. O.. A não aceitação da gravidez e o desenvolvimento de crianças com quatro anos de idade no bairro Vila Jardim, Porto Alegre, RS, BR. Revista Brasileira de Medicina da Família e Comunidade, v. 1, p. 240-246, 2013.

 

NUNES, N. A. ; HOLLIST, C. S. ; FALCETO, O. G. ; FERNANDES, C. L. ; MILLER, R. B. . Depressão e satisfação conjugal impacto longitudinal em uma amostra pós-parto Brasileira. Revista de Psiquiatria Clínica (São Paulo. Impresso), 2012.13.

 

KERBER, S. R., FALCETO, O. G., FERNANDES, C. L. Problemas conjugais e outros fatores associados a transtornos psiquiátricos do pós-parto. Revista Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia, v.33, p.281 - 287, 2011.

 

KERBER, S. R., FALCETO, O. G., FERNANDES, C. L. C. Problemas conjugais e outros fatores associados a transtornos psiquiátricos do pós-parto. Revista Brasileira de Psiquiatria, v.32, p.453 - 454, 2010.

 

STUTZMAN, S. V., MILLER, R. B., HOLLIST., C. S., FALCETO, O. G. Effects of Marital Quality on Children in Brazilian Families. Journal of Comparative Family Studies, v.40, p.475 - 492, 2009.

 

FALCETO, O. G., FERNANDES, C., BARATOJO, C., GIUGLIANI, E. R. J. Fatores associados ao envolvimento do pai nos cuidados do lactente. Revista de Saúde Pública (USP), v.42, p.1034 - 1040, 2008.

 

FERREIRA, L. M. ; HOLLIST, C. S. ; FERNANDES, C. L. ; NUNES, N. ; FALCETO, O. G. . Interfaces da Terapia Familia e a Pesquisa. In: VIII Congresso Brasileiro de Terapia Familiar e III Encontro de Pesquisadores, 2008, Gramado. Resumo do VIII Congresso Brasileiro de Terapia Familiar e III Encontro de Pesquisadores, 2008. p. 56-56.

 

HOLLIST, C., MILLER, R. B., FALCETO, O. G., FERNANDES, C. L. Marital Satisfaction and Depression: A Replication of the Marital Discord Model In A Latino Sample. Family Process, v.46, p.485 - 498, 2007.

 

FALCETO, O. G., GIUGLIANI, E., FERNANDES, C. L. Couple´ Relationships and Breastfeeding: Is There an Association?. Journal of Human Lactation, v.20, p.46 - 55, 2004.

 

FALCETO, O. G., GIUGLIANI, E., FERNANDES, C. L. Influence of parental mental health on early termination of breast-feeding: a case-control study. Journal American Board of Family Practice, v.17, p.173 - 183, 2004.

 

TESES E DISSERTAÇÕES CONCLUÍDAS:

CODY HOLLIST: Satisfação conjugal e depressão materna. Tese de Doutorado de Cody Hollist na Brigham Young University, Utah, Estados Unidos,2005. Orientador: Prof. Dr. Richard Muller.

 

SUZI ROSELI KERBER: Fatores Associados a Transtornos Psiquiátricos no Pós-Parto. Dissertação de Mestrado. UFRGS, 2008. Orientadores: Profs. Drs. Luiz Augusto Rhode e Olga Garcia Falceto.

 

NALU DE ARAUJO NUNES: Problemas no Casamento e Satisfação Conjugal: Analise de uma Amostra Brasileira. Dissertação de mestrado apresentado à Brigham Young University, Utah, Estados Unidos, 2009. Orientador: Prof. Dr. Richard Muller.

 

ALICE MACHADO BEHS: O impacto do nascimento de um filho no relacionamento conjugal em famílias com um, dois e três ou mais filhos. Dissertação de Mestrado, UFRGS, 2009. Orientadores: Profs. Drs. Valmor Piccinini e Olga Garcia Falceto.

 

LUCIANE PICCOLO: Contribuições de variáveis psicossociais e cognitivas para o desempenho em leitura em crianças de uma coorte populacional. Dissertação de Mestrado, UFRGS, 2010. Ambiente familiar, estresse e desempenho neuropsicológico de crianças. Dissertação de Doutorado, UFRGS, 2014. Orientadora: Profa. Dra. Jerusa Salles.

 

TESE EM PROCESSO:

BRUNA LARISSA SEIBEL: Influência da Rede de Apoio Social na Saúde Mental dos Membros da Família: Estudo Longitudinal. Tese de Doutorado, Orientadora Profa. Dra. Silvia Koller; co-orientadora Profa. Dra. Olga Falceto, UFRGS, 2012.

 

GRUPO DE PESQUISA:

 

ETAPA I

Pesquisadoras principais:

Olga Garcia Falceto, Elsa Giugliani, Carmem Fernandes, Wanda Leite, Lisiane Perico

Pesquisadores de Campo

Terapeutas de Família: Alceu Correia Filho, Angela Diehl, Carmem Fernandes, Claudia Baratojo, Daniela Domingues, Denise Jong, Elizabeth Wartchow, Iara Sotto Mayor, Izabel Sperb, Jeane Laronda, José Ovidio Waldemar, Lucy Bugs, Mara Rossato, Marcia Tomazi, Maria Cristina Jung, Marina Netto, Olga Garcia Falceto, Paulina Silbert, Regina Palma.

Estudantes de Medicina: Anelise Cancelli, Antônio de Barros Lopes, Camila Giugliani, Carolina Alboim, Clarice Ritter, Daniel Barbosa, Guilherme Polanczyk, Jeber Ammar, Karina Marramarco, Letícia Quarti, Marta Pereira Lima, Martina Hoblick, Mauricio Kunz, Silvia Kelbert, Tazio Vanni. Médico Residente: Wladimir Nunes Pinheiro

Equipe Técnica

Estatísticos: Mathias Bressel, Vania Naomi Hirakata

Secretária: Nilsa Panizzi

Ajuda financeira

Fundo de Incentivo à Pesquisa (FIPE) e apoio editorial do Grupo

de Pós-Graduação e Pesquisa (GPPG) do Hospital de Clínicas de Porto Alegre.

 

ETAPA II

Pesquisadoras principais:

Olga Garcia Falceto, Marina Netto, Suzi Roseli Kerber, Carmen Fernandes

Pesquisadores de Campo

Fernanda Bronzon Damian, Grace Bottino, Joana Maria Pacheco Lopes, Luciana Marques, Marina Netto, Marta Lucion, Paula Sukop, Suzi Roseli Kerber, Thiago Pianca

Equipe Técnica

Estatísticos: Mathias Bressel, Vania Naomi Hirakata

Secretária: Nilsa Panizzi

 

ETAPA III

Pesquisadoras principais:

Olga Garcia Falceto, Cody Hollist, Claudia Baratojo, Luciane Ferreira e Carmen

Fernandes

Pesquisadores de Campo

Terapeutas de Família: Angela Diehl, Carmen Dora Ferreira, Carmen Florinda Russowsky, Cody Hollist, Denise Jong, Elizabeth Wartchow, Heloisa Dallacosta, Ilka Soares, Jeanne Pereira, Luciane Mendonça Ferreira, Lucy Bugs, Marcia Tomazi, Maria Cristina Jung, Paulina Silbert, Suzi Roseli Kerber.

Estudantes de Medicina: Adriana Rosa Milani, Anelise Wolmeister, Bruno Netto, Carolina Meotti, Daniela Pires, Diego Milán Menegotto, Elisa Boessio, Gustavo Moraes, João Valter Pires Junior, Jonas Alex Morales Saute, Luciana Langhans, Marcia Pedruzzi, Matheus Rech, Mauricio Kunz, Natália Sônego Fernandes, Pedro Barcellos, Rebeca Pereira, Renata Chaves, Rodrigo Viana, Tainá de Freitas Calvette, Elena Metcalf, Enrique Falceto de Barros, Fernando Marques da Costa, Gustavo Fernandes

Equipe Técnica

Estatístico: Vania Naomi Hirakata

Secretária: Nilsa Panizzi

Ajuda financeira

Fundo de Incentivo à Pesquisa (FIPE),  Drs. Douglas e Judith

Marcus (Nova Iorque) e Brigham Young University (USA).

 

ETAPA IV

Pesquisadoras principais

Olga Garcia Falceto, Carmen Fernandes, Jerusa Salles, Rodrigo Grassi, Rochele Fonseca, Flávio Kapczinski, Elsa Giugliani

Pesquisadores associados: Patricia Manzolli

Pesquisadores de Campo

Terapeutas de Família: Adriana Fork Peres, Angela Dihel, Carmen Dora Ferreira,

Claissa Santana, Denize Jong, Lidiane Nunes Borba, Lucy Bugs, Mariana Raymundo,

Paulina Silbert, Silvia Tramontini.

Estudantes: Alice Behs, Bianca da Rosa Viera, Daniel Fior, Luciane Piccolo, Mariana

Correa Fernandes, Mariana Nunes Ferreira.

Equipe Técnica

Secretária: Nilsa Panizzi

Agentes de saúde: Fátima Rosane da Silva Pereira e Maria Valdeci Torres

 

ETAPA V

Equipe de Planejamento

Dra. Olga Garcia Falceto, Dra. Carmen Fernandes, doutoranda Bruna Larissa Seibel, Dra. Silvia Koller

Colaboradores internacionais

Dr. Cody Hollist, Dr. Paul S e Dr. Richard Muller

Coordenadores de campo

Doutoranda Psic. Bruna Larissa Seibel, Lisiane Rech, Katherine Flach

Pesquisadores de campo:

Terapeutas de Família: Dra. Angela Diehl, Luiza Picolli, Joanna Leusin, Carlos Machado, Lisiane Rech, Marina Barcelos, Ms. Katherine Flach, Márcia Marin

Estudantes: Jacqueline Sarmento Fernandes, Mariana Sbaraini da Silva, Murilo Henzel, Sara de Lima Augustin, Thais Gonçalves Almeida, Vinicius Noschang.

Equipe Técnica

Estatística:Vania Naomi Hirakata

Ajuda financeira: Drs. Douglas e Judith Marcus (Nova Iorque)

Tags:

Please reload

Follow Us
Please reload

Search By Tags
Please reload